Área Cultural Área Técnica

 Ciência e Tecnologia  -  Colunistas  -  Cultura e Lazer
 
Educação  -  Esportes  -  Geografia  -  Serviços ao Usuário

 Aviação Comercial  -  Chat  -  Downloads  -  Economia
 
Medicina e Saúde  -  Mulher  -  Política  -  Reportagens

Página Principal

P O R T U G A L

 


DADOS PRINCIPAIS:
Nome oficial:
República Portuguesa (República Portuguesa).
Nacionalidade: portuguesa.
Data nacional: 25 de abril (Liberdade); 10 de junho (Camões e Comunidades Portuguesas); 5 de outubro (Proclamação da República).
Capital: Lisboa.
Cidades principais: Lisboa (600.000 - 2,8 milhões na área metropolitana), Porto (300.000 - 1,5 milhões na área metropolitana), Amadora (180.000),
Braga (130.000), Setúbal (125.000), Coimbra (115.000) e Queluz (110.000), Agualva-Cacém (105.000) e Funchal (100.00) - 2007.
Idioma: português (oficial).
Religião:
cristianismo 87,1% (católicos 84,5%, protestantes 1,5%, outros cristãos 1,1%), islamismo 0,1%, sem filiação e outras 12,8% (2007).
Código telefônico internacional: 351
Código de internet: pt
Site oficial do Governo Federal: www.portugal.gov.pt.

GEOGRAFIA: 
Localização:
sudoeste da Europa.
Hora local:
+3h (UTC+0h durante o ano e UTC+1h em horário de verão).

Área:
92.090 km2, sendo 0,48% formado por águas internas.
Clima:
mediterrâneo (S) e temperado oceânico (N).
Área de floresta:
29 mil km2 (2005).


POPULAÇÃO:
Total:  10,651 milhões, sendo portugueses 99,5%, africanos 0,5% - Existem 550.000 imigrantes vivendo em Portugal (2008). 
Densidade:
115,65 hab./km2 (2008).
População urbana:
61% (2008).
População rural:
39% (2008).
Crescimento demográfico:
0,1% ao ano (2000).
Fecundidade:
1,37 filho por mulher (2000).
Expectativa de vida:
78,1 anos (2007) - 39º mais elevado do mundo.
PONTE VASCO DA GAMA (LISBOA) - A MAIOR DA EUROPA.Mortalidade infantil:
3,3 por mil nascimentos (2007) - 26º do mundo.
Analfabetismo:
5,1% (2007) - 68º do mundo.
IDH (0-1):
0,909 (2007) - 34º do mundo.

POLÍTICA:
Forma de governo:
República com forma mista de governo.
Divisão Administrativa:
18 distritos e 2 regiões autônomas (Açores e Madeira). 
Principais partidos:
Socialista (PS), Social-Democrata (PSD), Partido Comunista Português (PCP).
Legislativo:
unicameral - Assembléia, com mínimo de 180 membros e máximo de 230, eleitos para mandato de 4 anos.
Constituição em vigor:
1976.

ECONOMIA: 
Moeda:
Euro.
PIB:
US$ 255,5 bilhões (2008) - 36º do mundo.
PIB per capita: US$ 23.988.00 (2008).
ÁREA INDUSTRIAL E COMERCIAL NA REGIÃO DE MAIA, EM PORTOPIB agropecuária:
4% (2008).
PIB indústria:
35% (2008).
PIB serviços:
61% (2008).
Crescimento do PIB:
1,7% ao ano (2008).
Renda per capita:
US$ 21.000 (2009).
Força de trabalho:
5 milhões (1998).
Produção de eletricidade:
46.585 GWh (85% das suas necessidades - 2005).
Agricultura:
trigo, milho, batata, tomate, uva.
Pecuária:
bovinos, suínos, ovinos, aves.
Pesca:
229,1 mil t (1997).
Mineração:
cobre, urânio, granito, calcário, mármore.
Indústria:
vestuário, têxtil, química, produtos eletroeletrônicos (domésticos).
Exportações:
US$ 38,8 bilhões (2001).
Importações:
US$ 50,6 bilhões (2001).
Principais parceiros comerciais:
Espanha, Alemanha, França.
UNIVERSIDADE DE COIMBRA - UMA DAS MAIS FAMOSAS DO MUNDO!Rodovias: 68.732 km, sendo 3.187km de auto-estradas (2010).
Linhas ferroviárias: 2.791 km (1.430 km eletrificados, 900km possibilitam velocidades acima de 120 km/h) - 2008.
Principal companhia aérea: TAP Portugal (2010) - participa da "Star Alliance".
Telefones celulares:
13,413 milhões (2007).
Residências com TV a cabo: 38,2% (2008).
TV Digital: 100% (2010).

DEFESA: 
Efetivo total:
60 mil (2008 - estimativa).
Gastos:
US$ 5,87 bilhões - 2,3% do PIB (2008).

RELAÇÕES EXTERIORES: 
Organizações:
Banco Mundial, FMI, OCDE, OMC, ONU, Otan, EU.
Embaixada:
SES Av. das Nações Quadra 801, Lote 02, CEP 70402-900 - Tel. (61) 3032.9600/9601/9602, fax (61) 3032.9627, e-mail: embaixadadeportugal@embaixadadeportugal.org.br - Brasília, DF.

BASÍLICA DE FÁTIMA

Você sabia?

"Que tudo que começa com "al" ou "el" são locais que inicialmente foram conquistados pelos árabes, mas depois os mouros tomaram e por fim Portugal foi unificado?
Exemplos: Algarve, Alentejo..."
CIDADE DO PORTO - CONTRASTE DO ANTIGO COM O MODERNO

Doces conventuais
Por Yannah Raslam, colaboradora do Portal Brasil e residente em Portugal

- A cana de açúcar é cultivada desde a antiguidade. Entre os séculos VI e IX os árabes promoveram a expansão do "al sukkar" para o mediterrâneo.
- Pedro Álvares Cabral difundiu o açúcar para o novo mundo: Antilhas e Brasil.
- Com o advento da expansão e exploração marítima houve uma abundante oferta de açúcar e especiarias e a culinária portuguesa rapidamente integrou o uso desses produtos em suas receitas.
- No mesmo período, as populações que moravam nas redondezas dos mosteiros e conventos eram obrigadas a pagar tributos pelo uso da terra. Os impostos eram pagos por meio de aluguel (rendas), execução de trabalhos e doação de produtos agrícolas, entre eles os cereais, frutas, legumes, especiarias, açúcar, amêndoas e ovos.
- As claras dos ovos eram utilizadas para confeccionar hóstias, clarificar vinhos e engomar vestes religiosas.
- Os doces conventuais surgem e/ou são aprimorados no século XVI devido à grande oferta de açúcar, especiarias e gemas que seriam desperdiçadas.
- Os mosteiros e conventos muitas vezes serviam como hospedarias para famílias nobres e reais e estes comensais deveriam ser servidos com o que houvesse de mais caro, nobre e requintado. O açúcar e as gemas apareciam aí: o açúcar como VISTA PARCIAL DE LISBOAum produto importado, caro e quase restrito às elites. E o ovo, quem poderia se dar ao luxo de engomar roupas com as claras ao

 invés de comê-las? Apenas quem tivesse uma enorme disponibilidade deste produto, à custo zero e não dependesse dele para saciar sua fome.
- Muitos doces trazem em seu nome o lugar onde surgiram: Pastéis de Tentúgal, Pastéis de Santa Clara, Ovos Moles de Aveiro e Pão de Ló de Alfazeirão são exemplos. Pudim de leite, pão de ló, arroz doce, ambrosia, suspiros, ovos nevados (farófias) e curnocópias são alguns outros exemplos das doces iguarias conventuais.
- O mais tradicional e internacional dos doces conventuais portugueses é, com certeza, o Pastel de Belém, produzido desde 1837 no Mosteiro dos Jerônimos, Rua de Belém, Lisboa, cuja receita é secreta. Todo o resto são apenas Pastéis de Natas...
- As receitas conventuais também incluem a fabricação de licores à partir de frutas frescas, abundantes em Portugal tais como morangos, pêssegos, maçãs, pêras e ginjas, uma espécie de cereja ácida que nasce em solos calcários e arenosos. Destaque para a Ginja de Alcobaca e Óbidos.

FONTES: Base de dados do Portal Brasil, Governo de Portugal, Editora Abril, Wikipédia e Yannah Raslam.

 


 

 


FALE CONOSCO ==> CLIQUE AQUI